Ilha de Itaparica-Ba

sábado, 30 de outubro de 2010

Conheça a história da tatuagem

Shutterstock

A tatuagem já foi usada para identificar bandidos e enfeitar poderosos; para juntar tribos e afugentar inimigos; para mostrar preferências e esconder imperfeições. O que não mudou quase nada foi a técnica de aplicação de tinta na pele. Passados mais de 4 mil anos, ela ainda é feita por meio de agulhas que perfuram a derme. Perseguida em vários momentos da história, a prática foi banida por decreto papal no século 8 e na Nova York do século 20. Apesar disso, é difícil encontrar quem nunca tenha pensado em fazer uma.



> Entre 2160 a.C e 1994 a.C. 
Múmias de mulheres egípcias, como a Amunet, possuem traços e inscrições na região do abdome 


>>> Há mais de 2.400 anos 
Múmias encontradas nas montanhas de Altais, na Sibéria, apresentam ombros tatuados com animais, reais e imaginários 



>>> Entre 509 aC e 27 aC 
Os imperadores romanos determinam que, para não serem confundidos com súditos mais bem afortunados, prisioneiros e escravos sejam tatuados 



>>> 787 
Sob a alegação de ser coisa do demônio, o papa Adriano I proíbe as pessoas de se tatuarem 



>>> Entre os séculos 15 e 17 
Durante a invasão da Bósnia e Herzegovina pelos turcos otomanos, os católicos tatuavam cruzes como forma de evitar ter de rezar para Alá 



>>> 1600 
Com o fim das guerras feudais no Japão, os serviços dos samurais tornaram-se desnecessários. Surge, então, a Yakuza, a máfia japonesa 



>>> 1769 
Em expedição à Polinésia, o navegador inglês James Cook nota a tradição local de marcar o corpo com tinta. Na língua local, chamam isso de "tatao" 



>>> Entre 1831 a 1836 
A bordo do HMS Beagle, Charles Darwin registra que a maioria dos povos do planeta conheciam ou utilizavam algum tipo de tatuagem 



>>> 1891 
O americano Samuel O’Reilly patenteia a máquina de tatuar. Trata-se de uma adaptação de uma invenção de Thomas Edison 



>>> 1928 
Em Chicago, um caminhão com peles tatuadas é roubado. A coleção pertencia a Masaichi Fukushi, médico japonês que estudava como a tatuagem ajudava a preservar a pele 



>>> 1942 
Durante a Segunda Guerra, os nazistas tatuavam um número no corpo dos judeus para identificá-los como prisioneiros nos campos de concentração 



>>> 1959 
Chega ao Brasil o dinamarquês Knud Gegersen, o primeiro tatuador profissional a atuar por aqui 



>>> 1961 
Depois de um surto de hepatite B, a Secretaria da Saúde de Nova York proíbe a realização de novas tatuagens na cidade 



>>> 1999 
A empresa de brinquedos Mattel lança a Barbie Butterfly Art, boneca que vinha com uma tatuagem lavável 



>>> dezembro de 2009 
Ao passar 52 horas tatuando o corpo de Nick Thunberg, o americano Jeremy Brown bateu o recorde mundial de sessão mais longa, que era de 43h50min, estabelecido em 2006 


Quem dorme até tarde não é vagabundo, diz ciência

Shutterstock
Pessoas com o gene da "verpertilidade" têm predisposição para acordar tarde


Alvo de críticas de familiares e amigos, quem gosta de ficar na cama até a hora do almoço pode ter um motivo científico para a "vagabundagem": o distúrbio do sono atrasado. O assunto foi um dos temas abordados no 6º Congresso Brasileiro do Cérebro, Comportamento e Emoções, que aconteceu recentemente em Gramado.
O organismo humano tem um ciclo diário, de modo que os níveis hormonais e a temperatura do corpo se alteram ao longo do dia e da noite. Depois do almoço, por exemplo, o corpo trabalha para fazer a digestão e, conseqüentemente, a temperatura sobe, o que pode causar sonolência. 
Quando dormimos, a temperatura do corpo diminui e começamos a produzir hormônios de crescimento. Se dormirmos durante a noite, no escuro, produzimos também um hormônio específico chamado melatonina, responsável por comandar o ciclo do sono e fazer com que sua qualidade seja melhor, que seja mais profundo.
Pessoas vespertinas, que têm o hábito de ir para a cama durante a madrugada e dormir até o meio dia, por exemplo, só irão começar a produzir seus hormônios por volta das 5 da manhã. Isso fará com que tenham dificuldade de ir para a cama mais cedo no outro dia e, consequentemente, de acordar mais cedo. É um hábito que só tende a piorar, porque a pessoa vai procurar fazer suas atividades durante o final da tarde e a noite, quando tem mais energia.
O pesquisador Luciano Ribeiro Jr. da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), especialista em sono, explica que esse distúrbio pode ser genético: "Pessoas com o gene da ‘vespertilidade’ têm predisposição para serem vespertinas. É claro que fator social e educação também podem favorecer”. Mas não se sabe ainda até que ponto o comportamento social pode influenciar o problema.
A questão, na verdade, é que o vespertino não se encaixa na rotina que consideramos normal e acaba prejudicado em muitos aspectos. O problema surge na infância. A criança prefere estudar durante a tarde e não consegue praticar muitas atividades de manhã. Na adolescência, a doença é acentuada, uma vez que os jovens tendem a sair à noite e dormir até tarde com mais frequência.
A característica vira um problema quando persiste na fase adulta. “O vespertino é aquele que já saiu da adolescência. Pessoas acima de 20 anos de idade que não conseguem se acostumar ao ritmo de vida que a maioria está acostumada”, diz Luciano. Segundo ele, cerca de 5% da população sofre do transtorno da fase atrasada do sono em diferentes graus e apenas uma pequena parcela acaba se adaptando à rotina contemporânea.
O pesquisador conta também que, além do preconceito sofrido pelos pais, professores e, mais tarde, pelos colegas de trabalho, o vespertino sofre de problemas psiquiátricos com maior frequência: depressão, bipolaridade, hiperatividade, déficit de atenção são os mais comuns. Além disso, a privação do sono profundo, quando sonhamos, faz com que a pessoa tenha maior susceptibilidade a vários problemas de saúde: no sistema nervoso, endócrino, renal, cardiovascular, imunológico, digestivo, além do comportamento sexual.
O tratamento não envolve apenas remédios indutores do sono, como se fosse uma insônia comum. É necessária uma terapia comportamental complexa, numa tentativa de mudar o hábito, procurando antecipar o horário do sono. Envolve estímulo de luz, atividades físicas durante a manhã e principalmente um trabalho de reeducação.
E as pessoas que têm o hábito de acordar às 4 ou 5 horas da manhã? “O lado oposto do vespertino é o que a gente chama de avanço de fase. Só que esse não tem o problema maior no sentido social. Ele está mais adaptado aos ritmos sociais e profissionais. Os meus pacientes deste tipo têm orgulho, já ouvi mais de uma vez eles dizendo ‘Deus ajuda quem cedo madruga’”, diz o neurologista. 

Melhores do Mundo - Debate Político

Em tempos de Eleição vale a pena conferi esse debate super hilário.Não muito da nossa realidade,politicos sem propostas,mal informados e o pior corruptos que tentam nos representar no congresso..Com um humor inteligente nós nos divertimos e analisamos a situação em que estamos..  

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Igreja admite que a teoria de Darwin é verdadeira

 A Igreja teve que admitir que as espécies evoluíram de um ancestral comum depois de toda pressão imposta pelo acúlumo de evidências: distribuição geográfica dos animais, DNA, seleção artificial, fósseis e mais fósseis, idade real da Terra (4,5 Bilhões de Anos), etc, etc... No entanto a Igreja ainda se defende dizendo que todavia Deus criou a origem de tudo.....aos poucos as idéias vão se modificando, não?
  

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Algumas das piores fantasias de Halloween


Algumas pessoas costumam optar por fantasias que aproximam-se de um absurdo, fantasias totalmente inadequadas à época que, ao invés de assustar, acabam fazendo você rir involuntariamente.
Confira algumas das mais inusitadas fantasias de Halloween e escolha a sua.

Homem banana 

Artoo Detoo

Homem Celular

Gênio da Lâmpada

"Bloody Feto" mulher grávida

Bestialidade

Bomba suicida

Cobra charmosa
  

Comando Tron
          

Datas comemorativas e seus significados


Dia das mães, páscoa e natal, datas bastante conhecidas por nós, não é mesmo? Confira o significado destas e outras comemorações. Boa leitura!
Dia das mães: Ainda na Grécia antiga, os gregos tinham por hábito presentear a deusa Réia (mãe de todos os Deuses). Para tal, eram oferecidos presentes e oferendas para ela. Somente muitos anos depois, com o início do cristianismo, que a data passou a ter um valor cristão. Dessa forma, homenagens para Maria, mãe de Jesus, passaram a ganhar força em diferentes partes do mundo.
Difusão
Já no século XVII, seria criado o chamado “Domingo das mães”. A iniciativa partira dos ingleses, e estabelecia que naquela data, as mães deveriam ser homenageadas, recebendo flores durante as missas. Para aqueles que moravam longe, era ainda, uma chance de reencontrar sua mãe. Já no século XX, por volta de 1904, surgiu nos Estados Unidos, a ideia de se prestar uma homenagem as mães daquele país. O conceito partiria da jovem Anna Jarvis, que entendia ser necessário homenagear mulheres como a sua mãe, combatente na chamada Guerra Civil Americana. A ideia ganhou força, e em 1914, o chamado “dia das mães” era criado na terra do Tio Sam. De lá pra cá, muitas coisas mudaram, diversos países adotaram a data, incluindo o Brasil, onde a comemoração acontece no segundo domingo do mês de maio.
Páscoa: O termo páscoa vem do latim, e seu significado indica “passagem”. Segundo estudiosos, na região do Mediterrâneo, diversas sociedades, entre elas a grega, costumavam comemorar a passagem do inverno para a primavera, daí o nome. A celebração era de extrema importância, até mesmo diante do rigoroso inverno europeu, que dificultava a produção de alimentos.
Entre os judeus
Entre os judeus, a páscoa ganha um significado ainda maior. O período marca a transição do povo para a região do Egito, no ano de 1250 A.C. Nessa época, os judeus seriam aprisionados por diversos faraós, durante vários anos. Ainda sobre os judeus, a páscoa ainda está relacionada a passagem dos hebreus pelo chamado Mar Vermelho, onde liderados por Moises, conseguiriam escapar dos domínios egípcios.
Entre os Cristãos
Já para o povo cristão, a data celebra a ressurreição de Jesus Cristo (momento em que sua alma volta a se unir com seu corpo). Ainda dentro desse contexto, a semana anterior a Páscoa é tida como uma “Semana Santa”. Ela tem inicio no chamado Domingo de Ramos, momento em que, segundo a Bíblia, Jesus teria entrado na cidade de Jerusalem.
Coelhinho da Páscoa
A figura do coelhinho está intimamente ligada à data comemorativa. Por ser uma espécie bastante fértil, se acreditava, na antiguidade, que o animal representava a chegada de uma melhor perspectiva de vida, em uma época onde o índice de mortalidade era bastante acentuado na Europa. A importância do coelho não para por ai. No antigo Egito, por exemplo, a espécie representava o surgimento de uma nova era de prosperidade. Já em relação aos ovos de chocolate, eles estão relacionados a esta nova visão de mundo, dentro de um contexto de vida nova e fertilidade.
Natal: A data marca o nascimento de Jesus Cristo, e é comemorada em diferentes partes do mundo. Agora, o que poucos sabem, é que nem sempre foi assim. Até o século IV, cada povo estabelecia um dia do ano para sua comemoração. Somente depois desse período, que ficou estabelecido que o dia 25 de dezembro seria adotado como o legítimo nascimento de Cristo. Na antiguidade, a celebração podia durar até 12 dias, período em que novamente, segundo a Bíblia, os três reis magos levariam para chegar até Belém, onde entregaria presentes para o menino Jesus.
O papai Noel
Diferente do que muitos imaginam a vestimenta do papai Noel nem sempre foi vermelha. Até o século XIX, se costumava utilizar combinações baseadas no marrom ou verde escuro. Somente em 1886, o cartunista alemão Thomas Nast, criaria uma nova imagem para o bom velhinho, baseada no que conhecemos hoje, com a vestimenta branca e vermelha e cinto preto. Por outro lado, é bom que se diga somente alguns anos depois, em 1931, que através de uma campanha publicitária bem sucedida, que a figura do papai Noel passou se popularizou.
Curiosidades
Segundo historiadores, a figura do papai Noel, foi inspirada em um bispo de nome Nicolau. De origem turca, ele nascera por volta 280 D.C, e era conhecida no seu tempo, por ser um homem de bom coração, ajudando diferentes pessoas, deixando saquinhos de moedas próximos das chaminés das casas.